Filmes

Em holografia são utilizados vários tipos de materiais para a gravação dos hologramas. Em resumo, os mais utilizados são:

    Filmes ou placas à base de haleto de prata;

    Filmes ou placas à base de gelatina bicromatada;

    Filmes à base de fotopolímeros;

    Hologramas estampados.

Em termos numéricos, os hologramas estampados são de longe os mais comuns. Devido ao fato de poderem ser reproduzidos aos milhares em máquinas de estampagem, seu custo é baixo e suas aplicações em áreas de segurança são muito conhecidas. Entretanto possuem limitações de profundidade, cromaticidade e tamanho, além de exigirem muitas etapas intermediárias e complexas para a sua execução.

 Os filmes à base de gelatina bicromatada (DCG) possibilitam a gravação de hologramas de alto brilho e qualidade visual, além de terem um processamento simples e permitirem uma produção artesanal relativamente simplificada. Lamentavelmente sua durabilidade é baixa, se o holograma não for hermeticamente selado, pois em contato com a umidade do ar a gelatina se degrada e faz a imagem holográfica se desvanecer, . Além disso sua sensibilidade máxima se encontra na região do verde, exigindo lasers de maior custo para sua gravação.

 Os fotopolímeros, por sua vez, são plásticos fotosensíveis especialmente formulados para permitirem a gravação de imagens holográficas. Tem alta qualidade de imagem e  processamento simplificado, mas seu uso encontra-se limitado pelos poucos fabricantes que existem, que trabalham apenas com parceiros comerciais privilegiados.

 Os filmes mais práticos de serem utilizados são à base de haletos de prata. Estes filmes possuem uma fina camada de gelatina endurecida sensibilizada com haleto de prata. Seu pico de sensibilidade é geralmente na faixa do vermelho (exceto quando a solicitação do usuário for especificamente outra), o que o torna ideal para o trabalho com lasers de HeNe e diodos laser do mesmo comprimento de onda. Durante muitos anos a Agfa produziu uma ótima linha de filmes, que serviram de base de trabalho para hológrafos em todo o mundo. Infelizmente o principal mercado desta empresa eram as indústrias que utilizavam a holografia como método de análise não-destrutiva. Como houve avanços de vulto na área da tecnologia da imagem eletrônica para estes processos, o mercado se encolheu significativamente e a Agfa interrompeu totalmente a sua produção. Hoje existem cerca de meia-dúzia de fabricantes de filmes holográficos à base de haleto de prata no mercado internacional.

Recentemente, um hológrafo francês chamado Yves Gentet conseguiu desenvolver excelentes filmes holográficos fabricados por ele mesmo (Ver links). A qualidade é impressionante, mas os filmes de melhor qualidade ele reserva para a produção do seu próprio estúdio, além da sua produção ser intermitente.

No Brasil, infelizmente não é fabricado nenhum tipo de filme holográfico.