Edital de Seleção para Estudantes – Programa de Monitoria da Graduação – Disciplina Litografia

O Chefe do Órgão Acadêmico Responsável do Departamento de Artes Plásticas , João Augusto Cristeli de Oliveira , faz saber que, no período de 27/04/2021 a 05/05/2021 , de 14:00:00 às 17:00:00 horas, o(a) dapl@eba.ufmg.br receberá as inscrições de candidatos para o exame de seleção do Programa para atuar nas disciplinas/atividades com carga horária de 12 horas semanais.

Edital PMG 2021 – Litografia

Edital de Seleção para Estudantes – Programa de Monitoria da Graduação – Disciplina Artes da Fibra

O Chefe do Órgão Acadêmico Responsável do Departamento de Artes Plásticas , João Augusto Cristeli de Oliveira , faz saber que, no período de 27/04/2021 a 05/05/2021 , de 14:00:00 às 17:00:00 horas, o(a) dapl@eba.ufmg.br receberá as inscrições de candidatos para o exame de seleção do Programa para atuar nas disciplinas/atividades com carga horária de 12 horas semanais.

Edital PMG 2021 – Artes da Fibra

Comissão Examinadora e Inscrições homologadas para o concurso Edital nº 142/2021 – Pintura

Comissão examinadora:
Joice Saturnino de Oliveira
Janaína Thais Rodrigues Luiz
Christiana Quady Firmato Brant
Candidatos inscritos
Renata Silva Garboci Beloni Rosa     
Daniella Gomes Birchal de Moura     
Camila Lacerda Lopes     
José Márcio de Oliveira Lara     
Ricardo de Oliveira Maciel     
Ricardo de Oliveira Maciel     
juliana silveira mafra     
Hugo Maria de Mendonça Houayek     
Bruno Silvério Duque     
daniela Camargos Araujo Almeida     
Marcel Martins Lacerda Diogo     
Gladston da Costa Almeida     
Sofia Porto Bauchwitz     
Roosivelt Max Sampaio Pinheiro  

 

Seminários em Impressão e Gravura Contemporânea – 11 de Março

Nesta quinta-feira, 11/03, teremos a alegria de receber o artista Cristiano Lenhardt, de forma remota, na EBA. Com mediação da curadora Clarissa Diniz, Cristiano irá conversar sobre sua trajetória como artista e particularmente sua produção em diálogo com a gravura. O evento faz parte dos Seminários em Impressão e Gravura Contemporânea, promovido pelo Departamento de Artes Plásticas, que busca trazer artistas e pesquisadores externos à EBA/UFMG para apresentar e debater temas contemporâneos relacionados à impressão e à gravura no campo ampliado.

Acesso pelo Zoom clicando na imagem abaixo:

Resultado da eleição para Direção e Vice Direção da Escola de Belas Artes e Retificação de Editais

A chapa única, inscrita para a consulta eleitoral para a Diretoria e Vice-diretora da EBA, gestão 2021 a 2025, foi sancionada pela comunidade que compareceu à urna eletrônica, na seguinte porcentagem 50% de docentes, 47% de técnicos administrativos e 1% discentes.

Diretor Professor Cristiano Gurgel Bickel ; Vice-Diretor Professor Adolfo Cifuentes

Comissão Eleitoral

Profª Rita Gusmão

Profª Ana Paola

Técnica Adm. Adila de Oliveira

Técnica Adm. Tatiana Campolina

Discentes Gabriela Arsênio e Vinícius Guimarães

 

EDITAL_243-2021-EBA-SGE-UFMG – RETIFICAÇÃO DOS EDITAIS Nº 855/2020/EBA-SGE-UFMG, EDITAL Nº 134/2021/EBA-SGE-UFMG E EDITAL Nº838/2020/EBA-SGE-UFMG

Processo Seletivo de Professor Substituto – Edital nº 142, de 27 de Janeiro de 2021 – Departamento de Artes Plásticas – Pintura

Edital 141 – Departamento de Artes Plásticas – Área de Conhecimento: Pintura – 40 h – Professor Substituto

OFÍCIO CIRCULAR Nº 3/2020/CPPD-UFMG – Abertura de Edital de Processo Seletivo para Professor Substituto

Edital 142 – Edital 151 – Retificação_APL_- 40 h – Professor Substituto

Centro Cultural UFMG realiza roda de diálogo ao vivo sobre solargrafia

Na próxima quarta-feira, dia 12 de maio de 2021, às 19h30, o Centro Cultural UFMG transmite em seu canal do YouTube uma roda de diálogo ao vivo com o tema “Solargrafias, tempo e permanência”. A live é aberta ao público e reúne a artista visual e precursora da solargrafia no Brasil Lulu Ferreira e o professor e pesquisador Adolfo Cifuentes, com mediação do professor e fotógrafo Eduardo Queiroga.

A prática conhecida por “solargrafia” mescla fotografia de base química ou artesanal, processamento digital, articulação em redes e astronomia. Se coloca entre fenômenos naturais e tecnologia. Envolve a espera das longuíssimas exposições e o imediatismo das redes globais digitais. Essa interseção e seus desdobramentos estéticos abrem um horizonte instigante de debates no campo da imagem. Na conversa, referências e noções extraídas dos trabalhos apresentados vão se juntar com questões colocadas pelo público.

Lulu Ferreira destaca a riqueza do processo que conta “com o capricho de quem confecciona a câmera e observa o local” ao comentar que a “solargrafia é um tipo de produção de imagem diferente e gratificante, que conta com o registro movimento de nosso planeta”. O encontro faz parte do projeto Bordas de Imagem, uma série de rodas de diálogo que busca abordar questões contemporâneas da fotografia, partindo de articulações entre a prática artística e a pesquisa acadêmica, atravessando fronteiras, contrabandeando ideias, abrindo fissuras entre a prática e a teoria.

Local de realização do evento:
https://www.youtube.com/c/CentroCulturalUFMG

Solargrafias, tempo e permanência
Roda de diálogo ao vivo com Lulu Ferreira, Adolfo Cifuentes e Eduardo Queiroga.
Data: 12/05/2021
Horário: 19h30
Local: https://www.youtube.com/c/CentroCulturalUFMG
Aberta ao público

Siga o Centro Cultural UFMG nas Redes Sociais e fique por dentro da programação!
Facebook: https://www.facebook.com/centroculturalufmg
Instagram: https://www.instagram.com/centroculturalufmg
Twitter: https://twitter.com/ccultufmg
Spotify: https://spoti.fi/37VZnRa

Eugênio Tadeu inaugura novo ciclo do projeto Aulas Abertas que tem como temática música e performance musical

Texto: Comunicação Centro Cultural UFMG

Os próximos vídeos do projeto Aulas Abertas trazem falas de especialistas sobre “Música e performance musical”. Os convidados deste ciclo apresentam seus universos criativos da composição, apresentação musical e performance cênico-musical, campos distintos da arte que interagem para que o espetáculo aconteça. Essa abordagem ímpar nos traz a oportunidade de vivenciar propostas diferenciadas na área da Música.

O professor Eugênio Tadeu inaugura o assunto e fala sobre “Brincadeira, música e cena”, temas que se intercalam e que ele vem trabalhando há muito tempo.

A arte, de forma geral, tem uma semelhança muito grande com o brincar, afirma Eugênio. Ele vê muito isso nas canções, no modo de fazer música e no próprio brincar, pois existem regras, estruturas, formas, questões que são relativas ao espaço e tempo, a participação das pessoas e a inter-relação entre essa materialidade que se refere ao jogo como processo artístico. Nesse contexto, o professor cita o holandês Johan Huizinga, um dos grandes pensadores da questão lúdica.

Para o professor, as questões musicais estão presentes na brincadeira, no movimento, no ritmo, na pulsação e leva a crer, não só pela crença, mas pela experiência, que as relações musicais são muito próximas das possibilidades internas que uma brincadeira nos mostra. A relação sonora que a gente faz entre um som e outro é fruto das nossas experiências culturais, desde quando nascemos, com as escutas das cantigas de ninar, do que ouvimos em nossas famílias, nas escolas e em outros lugares das nossas relações sociais.

Tadeu diz que essa relação entre a música e o movimento, que tem na brincadeira, eles trazem para a cena musical e titulam de cênico-musical.  Ele explica que não é a mesma coisa que um teatro musical, um musical, uma música do teatro, ou um teatro musicado, e sim uma cena na qual música e movimento estão relacionados. Quando se faz um trabalho cênico-musical a estrutura do movimento é pensada a partir dos estímulos e das referências sonoras que carregamos e uma característica bem interessante é que não se repete aquilo que uma canção está dizendo ou o que um som está reproduzindo.

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=45ZncFafUTg 

Eugênio Tadeu é Professor da Graduação em Teatro e do Prof-Artes da Escola de Belas Artes da UFMG. Integrante do Grupo Serelepe, membro da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas (ABRACE), do Movimento da Canção Infantil Latino-americana e Caribenha (MOCILYC) e do Movimento Música e Infância (MOVMI). Coordenou o Pandalelê – Laboratório de Brincadeiras e integrou o Duo Rodapião. Doutor em Artes – Teatro e Mestre em Educação.

O projeto Aulas Abertas foi elaborado para oferecer um espaço de compartilhamento de ideias, conceitos e experiências, buscando a construção do conhecimento reflexivo e crítico pelo público, que terá acesso à fala de professores, pesquisadores e artistas convidados, não sendo assim aulas propriamente ditas, mas discussões contextualizadas pelo olhar científico e humano, essenciais neste momento de crise.

A cada semana será publicada uma nova aula através do Facebook, Instagram, YouTube e Site da Instituição.

Confira os vídeos anteriores em nossas Redes Sociais!

Projeto Aulas Abertas
Quartas-feiras nas Redes Sociais e Site do Centro Cultural UFMG
Facebook:
 https://www.facebook.com/centroculturalufmg
Instagram: https://www.instagram.com/centroculturalufmg
YouTube: https://www.youtube.com/c/CentroCulturalUFMG
Spotify: https://spoti.fi/37VZnRa
Site: https://www.ufmg.br/centrocultura

ENCONTROS NOTÁVEIS E CONEXÕES CRIATIVAS apresenta Teatro entre Culturas FERNANDO MENCARELLI E GIANLUCA BARBADORI – 08/05/2021, sábado, às 16h

Texto: Divulgação

Os diretores, professores e pesquisadores teatrais Gianluca Barbadori e Fernando Mencarelli são os convidados do projeto “ENCONTROS NOTÁVEIS E CONEXÕES CRIATIVAS”, no terceiro bate-papo do ciclo, que acontecerá no dia 08 de maio, sábado, às 16h.

 

Barbadori e Mencarelli se conheceram em 2005 quando assumiram respectivamente a direção e a coordenação artística da 1ª edição brasileira do Festival Ponte entre Culturas. O evento aconteceu em Belo Horizonte, durante 15 dias, com um intenso calendário de espetáculos, demonstrações de trabalho, oficinas, mesas redondas, palestras e debates, em parceria com a UFMG, a PUC-MG, a Fundação Clóvis Salgado e o Galpão Cine Horto, envolvendo artistas e pesquisadores italianos e latino-americanos, incluindo brasileiros.

 

Barbadori, profissional com trabalhos desenvolvidos em mais de 25 países distribuídos por cinco continentes, é fundador e diretor artístico da Associação Ponte Tra Culture, fundada em 1999, na Itália. Sua formação teatral ocorreu na Toscana, de 1988 a 1996, entre Florença e Pontedera. Em 1992 trabalhou por um breve período no “Workcenter of Jerzy Grotowsky and Thomas Richards”. Participou de numerosos festivais internacionais na Itália, Argentina, Brasil, Colômbia, México, Portugal, Estados Unidos e Suíça. Como diretor – carreira iniciada em 1994 – estreou 125 peças em vinte países (Argentina, Brasil, Colômbia, Equador, Guatemala, México, Panamá, Peru, El Salvador, Uruguai, Itália, Estados Unidos, Angola, Egito, Irã, Portugal, Reino Unido, Sérvia, Suíça, Hungria) apresentadas em oito idiomas, dirigindo atores profissionais, jovens atores em formação, estudantes universitários de Teatro, comunidades, jovens e adolescentes em situação de risco, imigrantes, emigrantes italianos e alunos de Ensino Médio. Enquanto pedagogo, atuou ainda na Grécia, Montenegro, Turquia e Curdistão Iraquiano.

 

Mencarelli é professor titular de Teatro e Artes na UFMG. Pesquisador CNPq e diretor teatral. Doutor e mestre pela Unicamp na área de História Social da Cultura com trabalhos sobre a história do teatro brasileiro. Pós-Doutoramento em Teatro na Universidade Sorbonne Nouvelle/Paris III. Diretor de Ação Cultural da UFMG (desde 2019). È membro da equipe de pesquisadores da Maison des Sciences de L´Homme Paris Nord (Paris/França) e pesquisador associado do Groupe de Recherche Théâtralité, Performativité et Effets de Presénce, da Université du Québec à Montréal (Canadá). Diretor artístico associado do Centro Internacional de Teatro Ecum (SP).

 

  

FICHA TÉCNICA

 

Coordenação Geral

Giusi Zamana

 

Assessoria de Comunicação

Flavia Frota

 

Direção Técnica

Bruno Cerezoli

 

Design gráfico e Gestão de redes sociais

Duplo Estúdio de Criação

Thaiana Fernandes, Rafael Moreira, Paola Frizero

 

Transmissão ao vivo

Meneio Soluções Cênicas

 

 

CRÉDITOS

 

Realização

Ponte entre Culturas – MG

 

Apoio

Lei Aldir Blanc, Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Governo de Minas Gerais

Secretaria Especial da Cultura – Ministério do Turismo, Governo Federal.

Revisitando a obra do artista George Gütlich

Texto: Divulgação

“Revisitando a obra do Artista” é um projeto de retomada das exposições na Graphias Casa da Gravura, em 2021. Para a primeira, convidamos o artista George Gütlich.

Compartilhamos um pouco da nossa história, nesta casa centenária de 1921, em São Paulo, com a história do artista e sua vivência na região de São José dos Campos, SP.

A relação com a obra de George Gütlich, o primeiro trabalho conjunto, aconteceu em 2000, com o projeto Cartografias Poéticas, 500 anos do Brasil. Um livro de artista, coletivo, aqui representado pela gravura Mapa.

Na mostra Revisitando a obra do Artista, através do conjunto de gravuras apresentadas, contextualiza-se a temática do lugar. A arquitetura e a paisagem, a relação do tempo e a ocupação do espaço.

Veja a exposição neste link.

Antonio Barreto Hildebrando fala sobre ‘o teatro de muita gente’ em novo vídeo do projeto Aulas Abertas

Texto: Comunicação Do Centro Cultural UFMG

O convidado do projeto Aulas Abertas desta semana, professor Antonio Barreto Hildebrando, apresenta um tipo de teatro que ele carinhosamente chama de O teatro de muita gente.

Segundo o dramaturgo, o teatro de muita gente se dá em um terreno de demarcações fluidas e movimenta-se entre a criação coletiva com o seu potencial anárquico, que às vezes beira o caos e em termos formativos busca a polivalência, ou seja, todos fazem tudo.

De acordo com as linhas mais definidas propostas por Antônio Araújo (Teatro da Vertigem), a criação colaborativa é uma metodologia de criação em que todos os integrantes, a partir de suas funções artísticas específicas, têm igual espaço propositivo, sem qualquer espécie de hierarquias, produzindo uma obra cuja autoria é compartilhada por todos.

Hildebrando diz que na prática nem todos se engajam da mesma forma, mas quem o faz certamente tem uma experiência marcante. Para ser um teatro de muita gente o processo criativo precisa incorporar alegremente flutuações e ruídos, precisa ser um teatro no qual o acaso, as mudanças de rumo e incompletudes são muito bem-vindas.

Para finalizar sua fala, o professor ressalta que o teatro de muita gente, mais do que um gerador de produtos, é um catalisador de processos, um espaço de atrito produtivo entre técnicas, estéticas, conceitos teorias, procedimentos, experiências e visões de mundo, enfim, um espaço de diálogo, de conflitos, de compartilhamentos e de descobertas. Energia pura e insubstituível.

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=xhaEeLfkQvM 

Antonio Barreto Hildebrando é ator, dramaturgo e diretor de teatro. Doutor em Literatura comparada. Professor titular do Departamento de Artes Cênicas da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais.

O projeto Aulas Abertas foi elaborado para oferecer um espaço de compartilhamento de ideias, conceitos e experiências, buscando a construção do conhecimento reflexivo e crítico pelo público, que terá acesso à fala de professores, pesquisadores e artistas convidados, não sendo assim aulas propriamente ditas, mas discussões contextualizadas pelo olhar científico e humano, essenciais neste momento de crise.

A cada semana será publicada uma nova aula através do Facebook, Instagram, YouTube e Site da Instituição.

Confira os vídeos anteriores em nossas Redes Sociais!

Projeto Aulas Abertas
Quartas-feiras nas Redes Sociais e Site do Centro Cultural UFMG
Facebook:
 https://www.facebook.com/centroculturalufmg
Instagram: https://www.instagram.com/centroculturalufmg
YouTube: https://www.youtube.com/c/CentroCulturalUFMG
Spotify: https://spoti.fi/37VZnRa
Site: https://www.ufmg.br/centrocultural/

Música e teatro: Circuito Cultural UFMG apresenta show com Marquim D’Morais e bate-papo com Teuda Bara

Texto: Assessoria de Comunicação da Diretoria de Ação Cultural (DAC) da UFMG

Dar voz aos artistas e manter viva a cultura como um dos pilares da Universidade. Esses são os objetivos do Circuito Cultural UFMG, que nesta semana traz um show com o cantor e compositor Marquim D’Morais, além de um bate-papo com a atriz Teuda Bara. Os vídeos estreiam respectivamente na quarta-feira, 28 de abril, e sexta-feira, 30 de abril. A realização é da Diretoria de Ação Cultural da UFMG e do Centro Cultural UFMG.

Marquim D’ Morais apresenta o show Tá em Casa

Com berimbau, cavaco ou violão na mão, o cantor e compositor Marquim D’Morais apresenta o show Tá em Casa, em comemoração aos seus dez anos de carreira solo. O vídeo estreia na quarta-feira, 28 de abril, às 19h, no youtube.com/culturaufmg.

Marquim é cantor, compositor, poeta e capoeirista, nascido e criado no Aglomerado da Serra em Belo Horizonte. O artista alia simplicidade e complexidade em seus trabalhos, que trazem uma conjunção de ritmos variados, e letras que exploram o cotidiano das periferias e as questões sociais ali presentes. Suas referências são o rap, o soul, o reggae, o baião, o maracatu, e a capoeira.

Baixo Centro En[cena]: Se o tempo não para, muito menos Teuda Bara

A icônica atriz Teuda Bara participa de um bate-papo ao vivo com o pesquisador teatral Ernani Maletta. A conversa será transmitida ao vivo na sexta-feira, 30 de abril, às 18h30, pelo youtube.com/centroculturalufmg. O vídeo ficará disponível no canal após a estreia.

O tema principal da conversa será a longevidade e a intensidade da vida profissional de Teuda, que aos 80 anos de idade continua cada vez mais ativa, independentemente das adversidades que se apresentam. Para contemplá-lo, serão abordados momentos diversos da sua vida e carreira artística, desde as peculiaridades da sua criação e formação, passando pela sua chegada ao mundo das artes cênicas, sua presença na fundação do Grupo Galpão e os inúmeros trabalhos realizados fora do grupo – incluindo a participação especial como integrante do Cirque du Soleil -, os atuais slos e sua intensa participação no Teatro Digital, que se tornou protagonista nesses anos de pandemia. Quem conduz a dinâmica será o professor da UFMG, referência em polifonia musical e cênica, Ernani Maletta.

O Circuito

O Circuito Cultural UFMG é um projeto da Diretoria de Ação Cultural da UFMG, por meio do qual artistas locais, regionais e de relevância nacional e internacional se apresentam para a comunidade. Adaptado para o ambiente virtual desde março de 2020, o projeto tem contribuído para a circulação de produtos artístico-culturais durante a pandemia.

Serviço:

Circuito Cultural UFMG

Marquim D’ Morais – Tá em Casa

Quando: 28 de abril – 19h

Onde: www.youtube.com/culturaufmg

Baixo Centro En[cena]: Teuda Bara

Quando: 30 de abril – 18h30

Onde: www.youtube.com/culturaufmg

Websérie 3×4 – Núcleo Experimental de Dramaturgia (NED)

Websérie 3×4, produzida pelo Núcleo Experimental de Dramaturgia (NED), grupo de pesquisa que coordeno na FALE. A websérie teve sua estreia na última sexta-feira, 16 de abril, e é dividida em 5 capítulos. Os vídeos podem ser conferidos no canal do NED no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCladShYMZuQjQfsXTdKNFhA

Sinopse:
3×4, dramaturgia de Amora Tito, produção do Núcleo Experimental de Dramaturgia, com direção de Amora Tito e Elen de Medeiros, é uma websérie dividida em cinco capítulos. Uma família de pessoas negras contrata um jovem fotógrafo branco para registrar uma festa de aniversário do filho mais novo, Rafa. Uma perspectiva de olhar. Olhos sujos. Os pontos de vista sob os olhares negros e não-negros. Capítulos disponíveis às segundas e sextas no canal do NED no YouTube (https://bityli.com/Yy250).

Ficha técnica:

3×4
Dramaturgia: Amora Tito

Direção: Amora Tito e Elen de Medeiros

Leitura dramática:
Mãe – Nayara Leite
Vó – Amora Tito
Pai – Felipe de Oliveira
Fotógrafo – Arthur Barbosa
Rubricas – Matheus Cunha

Edição de vídeo: Nanauê

Captação de som externo: Ivo Ivo Ivo