Escola de Belas Artes da UFMG recebe doações para criação de acervo de equipamentos fotográficos

Texto: Assessoria de Imprensa da UFMG

Aquela câmera antiga esquecida no fundo do armário pode ajudar a contar a história da fotografia. Essa é a proposta do AcervoF, projeto da Escola de Belas Artes da UFMG. Por meio do recolhimento, catalogação, guarda e exposição de equipamentos fotográficos, provenientes de doações institucionais ou de acervos particulares, o projeto amplia as possibilidades de resgatar e fortalecer a história técnica da fotografia.

As doações serão registradas através de Termo de Doação que fará parte da documentação do projeto. Os equipamentos não precisam se encontrar em perfeito funcionamento, nem mesmo em embalagens originais. Interessados em contribuir com o projeto podem entrar em contato pelo e-mail <acervof.ufmg@gmail.com> ou pelo site www.eba.ufmg.br/acervof.

“Nosso objetivo é reunir e expor equipamentos de fotografia de diferentes épocas, contribuindo para a democratização do conhecimento histórico ligado às tecnologias dos diversos equipamentos produtores de imagens”, explicam os professores Alexandre Leão e Paulo Baptista, coordenadores do projeto.

Criado em 2010, o AcervoF se apresenta como um recurso cultural e científico que envolve atividades de ensino, pesquisa e extensão, com a participação de pesquisadores e profissionais das áreas de Fotografia, Conservação-Restauração, História, Museologia e afins. Atualmente o projeto conta com a participação voluntária de duas alunas do Curso de Conservação-Restauração, Cláudia Lima e Thalita Braga.

Além da seleção, identificação e pesquisa histórica das câmeras e acessórios, o projeto prevê intervenções de conservação e guarda do acervo, com produção de documentação e catalogação das peças.

Edital de Seleção para Estudantes – Programa de Monitoria da Graduação – Disciplina Animação 3D Digital

O(A) Chefe do Órgão Acadêmico Responsável do(a) Departamento de Fotografia e Cinema, Patrícia Gomes de Azevedo , faz saber que, no período de 08/06/2021 a 15/06/2021 , de 00:00:01 às 23:59:00 horas, o(a) Secretaria do Departamento de Fotografia e Cinema (através do email
dftc@eba.ufmg.br) receberá as inscrições de candidatos para o exame de seleção do Programa para atuar nas disciplinas/atividades com carga horária de 12 horas semanais.

Edital PMG 002/2021 – Animação

Luísa Machala inaugura novo ciclo do Aulas Abertas UFMG com tema Dança e performances

Texto: Assessoria do Centro Cultural UFMG

Os próximos vídeos do projeto Aulas Abertas, do Centro Cultural UFMG, trazem falas de especialistas sobre Dança e performances. Os convidados deste ciclo abordam o potencial da corporeidade como linguagem e elemento de expressão e apresentam seus processos criativos sobre o fazer artístico com o corpo.

A professora de dança contemporânea Luísa Machala inaugura o assunto e compartilha sua experiência em videodança, focando em aspectos da criação coletiva e colaborativa em uma aula intitulada de Videodança: exercitando a criação em rede. Link do vídeo: https://youtu.be/EJ1JJQQICMo

Segundo Luísa, definir videodança não é uma tarefa fácil. Assim sendo, ela seleciona dois pontos consensuais entre pesquisadores do campo. O primeiro é compreender que a videodança não é um mero registro documental, uma transposição das danças criadas para os palcos, por exemplo, para a tela, mas algo construído e pensado especificamente para esse fim, para a tela.

O segundo ponto é entender a videodança como um campo híbrido, isto é, para que aconteça essa especificidade é necessário que a dança e o audiovisual estejam em relação. Por se tratar de hibridismo não seria qualquer tipo de relação, mas uma relação não hierárquica, não acessória, não instrumentária, ou seja, a dança não estaria a serviço do audiovisual e nem o audiovisual a serviço da dança. O que acontece é um diálogo das áreas, uma espécie de agenciamento entre os conhecimentos específicos de cada uma, pensando a videodança como uma emergência dessa relação ou como uma deriva dessa troca, explica.

Para adentrar ao tema, Luísa Machala apresenta algumas experiências e processos criativos que ela vivenciou ao longo dessa quarentena, como Ventana: a noção de criação em rede e a relação entre o corpo e a técnica, o projeto Movimento em RedeGabinete sanitário4.000 fugas para a fragilidadeEcos de recolhimentoRisco e Corpo-imagem: videodança em pesquisa. Assista ao vídeo abaixo e conheça um pouco sobre a perspectiva de criação da artista.

Luísa Machala é artista-pesquisadora da Dança, professora de dança contemporânea e videomaker. É mestre em Artes pela Escola de Belas Artes da UFMG, graduada em Licenciatura em Dança pela mesma universidade e em Estudos Gerais: Artes e Culturas Comparadas pela Universidade de Lisboa, Portugal.

O Aulas Abertas foi elaborado para oferecer um espaço de compartilhamento de ideias, conceitos e experiências, buscando a construção do conhecimento reflexivo e crítico pelo público, que terá acesso à fala de professores, pesquisadores e artistas convidados. Não se trata, portanto, de aulas propriamente ditas, mas discussões contextualizadas pelo olhar científico e humano, essenciais nesse momento de crise.

A cada semana será publicada uma nova aula através do Facebook, Instagram, YouTube e Site da Instituição. Confira os vídeos anteriores também por meio das redes sociais.

Artista plástico argentino é contemplado em projeto do Centro Cultural UFMG

Texto: Comunicação Centro Cultural UFMG

O Centro Cultural UFMG disponibiliza nesta terça-feira, dia 1º de junho de 2021, a segunda edição do projeto Diálogos: Artista e Curador(a), que contempla o artista plástico e professor argentino Abel Monasterolo, com a exposição virtual “Rio vermelho: memoria y metáfora visual”. A mostra tem curadoria da argentina Isabel Molinas, doutora em educação, pesquisadora e professora da Universidade Nacional del Litoral.

Com trabalhos extremante poéticos, Abel Monasterolo faz incursões profundas nos sentimentos resultantes de sua vivência no campo, junto ao rio Colastiné, nos arredores de Santa Fé. Referência em seu país na hibridação nas artes visuais, o artista expõe suas obras desde 1982, em mostras coletivas e individuais, que em sua trajetória obteve diversos prêmios em salões nacionais, estaduais e regionais.

Abel Monasterolo nasceu em San Cristóbal, em Santa Fé, na Argentina. É docente sênior em Artes Visuais Especializada em Pintura. Estudou com os professores César López Claro, Enio Iommi, Julio César Botta e Ahuva Slimowich. É professor da Escola Superior de Artes Visuais “Prof. Juan Mantovani”, diretor e curador do Museu Municipal de Artes Visuais de Santa Fé e membro do Conselho Social da Universidad Nacional del Litoral.

Link para a exposição virtual Rio vermelho: memoria y metáfora visual: https://www.youtube.com/watch?v=lu6UYRDaG0g 

Vídeos complementares:

Rio das Mortes: https://www.youtube.com/watch?v=QnddOVq-bhk 

Mural Rojo: https://www.youtube.com/watch?v=9t_VTiG8aGw 

O projeto Diálogos: Artista e Curador(a) pretende disponibilizar exposições virtuais em formato de vídeos documentários mensalmente nas redes sociais do Centro Cultural UFMG. A partir de recortes curatoriais cronológicos, os vídeos trazem uma linha evolutiva no tempo e no percurso da criação do artista, oferecendo ao espectador a oportunidade de percorrer virtualmente pelas obras, através de simulação 3D, sendo mediado pelos comentários do artista e do curador.

O projeto vai apresentar nomes expressivos do cenário artístico e oferecer ao público conteúdos com excelência, associados a uma reflexão aprofundada no contexto da arte contemporânea nacional e internacional, permitindo que avancem em seus conhecimentos e nas maneiras de fazer e pensar a arte.

Siga nossas Redes Sociais e fique por dentro da programação:
Facebook: https://www.facebook.com/centroculturalufmg 
Instagram: https://www.instagram.com/centroculturalufmg 
YouTube: https://www.youtube.com/c/CentroCulturalUFMG 
Twitter: https://twitter.com/ccultufmg
Spotify: https://spoti.fi/37VZnRa

Concurso Professor Substituto para o Teatro Universitário da UFMG

Texto: Divulgação

A Reitora da Universidade Federal de Minas Gerais torna público que, consoante o(s) prazo(s) abaixo especificado(s), contado(s) a partir do dia subsequente ao dia da publicação deste Edital, serão recebidas as inscrições de candidatos ao(s) processo(s) seletivo(s) para preenchimento de vaga(s) de PROFESSOR SUBSTITUTO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO, a ser(em) lotado(s) nesta Universidade, de acordo com a seguinte especificação:
UNIDADE: Escola de Educação Básica e Profissional / Teatro Universitário.
VAGA(S): 01(uma).
ÁREA DE CONHECIMENTO: Visualidade da Cena e Produção Cultural
TITULAÇÃO: Mestrado na área de Teatro, ou Design, ou Arquitetura, ou Artes Visuais, ou Moda, ou Cenografia, ou Indumentária, ou Figurino, ou comunicação.
PRAZO DE INSCRIÇÃO: 15 (quinze) dias, a partir do dia subsequente ao dia da publicação do Edital.
DATA DA SELEÇÃO: até 10 ( dez) dias úteis após o encerramento das inscrições. FORMA DE SELEÇÃO: análise de “curriculum vitae” e entrevista por videoconferência. As instruções para a realização da videoconferência e critérios de avaliação das provas estarão disponíveis na página eletrônica http://www.coltec.ufmg.br .
Endereço eletrônico para contato: secretaria-tu@ebap.ufmg.br.
PRAZO DE VALIDADE DO PROCESSO SELETIVO: 6 (seis) meses, contados a partir do dia subsequente ao dia da publicação do Edital de Homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período, a critério do órgão interessado no certame.

Maiores detalhes nos arquivos abaixo:

Edital 815 – TEATRO UNIVERSITÁRIO

TABELA DE PONTUAÇÃO – CONCURSO

CRONOGRAMA – VISUALIDADE DA CENA E PRODUÇÃO CULTURAL