Circuito Cultural UFMG lança nova série de shows virtuais gratuitos

Texto: Assessoria de Comunicação da Diretoria de Ação Cultural (DAC) da UFMG

A Diretoria de Ação Cultural (DAC) da UFMG inaugura na próxima quarta, 1° de julho, a nova temporada do Circuito Cultural UFMG #emcasa. Marquim D’Morais, Laura Sette, Sara Não Tem Nome, Roger Deff e Roda de versos das mulheres do Jequitinhonha são as atrações deste mês. Os shows participam da campanha de financiamento coletivo Colabore Hospitais UFMG e estreiam toda quarta-feira, às 19h, no www.youtube.com/culturaufmg.

Quem abre o projeto é Marquim D’Morais, com a apresentação virtual Beleza no Caos. Além de músicas do seu primeiro disco, Do Alto do Morro, o artista apresenta canções inéditas, que farão parte do seu próximo álbum. O trabalho do jovem músico, nascido e criado no Aglomerado da Serra, é marcado pela pluralidade cultural presente na favela. Suas composições abordam narrativas de cunho social, fazendo uma junção de ritmos, como rap, soul, reggae, baião, maracatu e capoeira.

A fusão de ritmos continua no dia 8, com o pocket show de Laura Sette. Original, a artista vai do funk ao rap, passando pelo R’n’B e trap. No dia 15, é a vez de Sara Não Tem Nome, que recém lançou a música Agora, inspirada no período de isolamento durante a pandemia. Já a periferia, o centro urbano e o hip hop são as inspirações do jornalista e rapper Roger Deff, que se apresenta no dia 22. Encerrando a programação de julho, mulheres de sete comunidades do Vale do Jequitinhonha jogam versos de poemas, mesclando autoria e domínio público, na Roda de versos das mulheres do Jequitinhonha.

O projeto

“Para nós, é muito importante manter o Circuito Cultural durante a pandemia, pois ele é mais um canal a dar voz aos artistas e uma boa maneira de contribuirmos para manter viva a cultura como um dos pilares de nossa Universidade”, explica o produtor cultural, Sérgio Diniz. Desde março, quando a Diretoria de Ação Cultural adaptou o projeto para o ambiente virtual, já foram disponibilizados mais de dez pocket shows gratuitos no YouTube.

Um dos objetivos do projeto é promover o intercâmbio das expressões culturais locais e regionais com a comunidade artística e acadêmica. Além de jovens cantautores representativos da cena belo-horizontina, neste mês foram convidadas as mulheres jogadoras de versos, preservando uma tradição oral do Vale do Jequitinhonha. “Neste momento, a curadoria está pensando outras formas de atuar neste contexto virtual e esperamos ter boas surpresas em breve, contemplando também outras linguagens para além da música”, pontua Sérgio.

Colabore Hospitais UFMG

Desenvolvida pela Universidade em parceria com a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) e o Instituto dos Advogados de Minas Gerais (IAMG), a campanha visa arrecadar verba para o enfrentamento à pandemia nos hospitais gerenciados pela UFMG. O volume arrecadado é destinado à aquisição de medicamentos, insumos, equipamentos de proteção individual e a contratação de serviços necessários ao atendimento de pessoas diagnosticadas com Covid-19, demais síndromes respiratórias agudas e outras emergências.

Os interessados em contribuir podem transferir qualquer valor para o Banco do Brasil (001), agência 1615-2, conta corrente 960.419-7 (CNPJ da Fundep: 18.720.938/0001-41). Também podem ser doados bens ou equipamentos; nesse caso, basta entrar em contato com a Diretoria de Cooperação Institucional da UFMG por meio dos telefones (31) 3409-4555 e (31) 99306-0348 ou do e-mail gab@copi.ufmg.br. Saiba mais sobre a campanha em www.colaborehospitaisufmg.com.

 

Circuito Cultural UFMG #emcasa – Programação de julho

Data: Todas as quartas-ferias

Horário: 19h

Onde: www.youtube.com/culturaufmg

1º de julho – Beleza no Caos, de Marquim D’Morais

8 de julho – Corpo, Alma e Consequência, de Laura Sette

15 de julho – Sobrevivência dos vagalumes, de Sara Não Tem Nome

22 de julho – Etnografia Suburbana, de Roger Deff

29 de julho – Roda de versos das mulheres do Jequitinhonha

UFMG define diretrizes para retomada das atividades em regime remoto emergencial

Texto: Assessoria de Imprensa da UFMG

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) definiu, em sessão nesta quinta-feira, dia 25, diretrizes para o retorno das atividades acadêmicas na UFMG de forma remota emergencial em meio à pandemia de Covid-19. O órgão aprovou resolução que estabelece que os programas de pós-graduação stricto sensu e lato sensu terão suas atividades reiniciadas a partir da próxima quarta-feira, 1º de julho, respeitando as necessidades e contingências de cada curso e do corpo discente

Os cursos de graduação, por sua vez, retornam em um prazo mínimo de seis semanas. A decisão veio após reunião realizada com coordenadores, conforme recomendação da Câmara de Graduação. Ficou estabelecido que o reinício do primeiro período letivo ocorrerá a partir de 3 de agosto.

Em relação aos cursos de mestrado, doutorado e de especialização, a reitora Sandra Regina Goulart Almeida, que presidiu a reunião on-line do Cepe, informa que a Câmara de Pós-graduação deverá designar uma comissão para acompanhar a implantação e execução de atividades remotas emergenciais.

No caso da graduação, explica a reitora, a Câmara de Graduação deverá, nesse prazo de seis semanas, fornecer, com base em propostas elaboradas por Grupos de Trabalho (GTs), diretrizes para regulamentar a oferta de atividades acadêmicas curriculares na modalidade remota emergencial. Os GTs, compostos de docentes e discentes, estão trabalhando no estabelecimento de diretrizes de estratégias de ensino-aprendizagem, atividades avaliativas e regime acadêmico. “Caberá aos colegiados, com base nessas diretrizes, programar as atividades que poderão ser ofertadas remotamente. Para isso, haverá um período para ajustes das matrículas. Também serão definidas ações para avaliação e monitoramento das estratégias adotadas nas três fases previstas para o processo de retomada das aulas, conforme descrito no documento Síntese das reflexões e recomendações“, explica Sandra Goulart.

A primeira etapa da retomada consiste no diagnóstico, planejamento, regulamentação da oferta e integralização de atividades acadêmicas complementares e de atividades voltadas para os concluintes, além de ações de formação docente. Em sua segunda etapa, o processo prevê a adoção do ensino remoto emergencial propriamente dito. Na terceira etapa, o ensino remoto emergencial coexistirá com a ampliação gradual das atividades presenciais.

Também ficou decidido que um novo calendário escolar será elaborado. “Isso será feito pelo próprio Cepe, com base nas reflexões das câmaras de Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão”, informa Sandra Goulart.

Ampla consulta

A reunião desta quinta-feira foi convocada para que os conselheiros analisassem as propostas concebidas com base nas consultas às unidades, aos colegiados de Graduação e de Pós-graduação, aos centros de extensão e aos núcleos de pesquisa. O resultado das consultas foi, primeiramente, sistematizado pelas câmaras de graduação e de pós-graduação, apresentado e debatido em reuniões do Cepe, em 10 de junho, e do Conselho Universitário, em 15 de junho.

Em seguida, os documentos foram encaminhados às unidades acadêmicas para que fosse dado conhecimento à comunidade universitária e colhidas reflexões e sugestões adicionais com objetivo de subsidiar o Cepe nas decisões sobre início da retomada das atividades acadêmicas de graduação e de pós-graduação.

Formação docente

Diante da necessidade de consolidação de plano de ação emergencial para apoio à comunidade acadêmica na preparação para o ensino no contexto de crise pandêmica, foi criado o Programa Integração Docente – ações formativas para as práticas pedagógicasO Programa é resultado de articulação entre a Diretoria de Inovação e Metodologias de Ensino (GIZ/Prograd), Centro de Apoio à Educação a Distância (Caed) e Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI), em integração com o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI), Cedecom e Coordenadoria de Assuntos Comunitários (CAC). 

Desde maio, têm sido disponibilizados, para a comunidade acadêmica, fóruns, oficinas, cursos, webinars e outras ações virtuais de apoio ao uso de tecnologias digitais no ensino. Até o momento, foram oferecidas, por meio de oficinas e minicursos, aproximadamente 1 mil vagas para formação de docentes e 450 vagas para estudantes.

Inclusão digital

Uma das principais preocupações da UFMG em seu processo de retomada das atividades acadêmicas em regime remoto emergencial é garantir a qualidade de acesso à internet e a equipamentos para estudantes de graduação e de pós-graduação. O vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira explica que uma série de ações foi elaborada e será posta em prática imediatamente. As propostas, que se basearam nos resultados preliminares da consulta aos estudantes de graduação e de pós-graduação, foram formuladas em conjunto pelas pró-reitorias de Assuntos Estudantis, Graduação e de Pós-graduação, pela Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump) e pelo Comitê de Acompanhamento de Estudantes.

Os estudantes de pós-graduação, por exemplo, já podem participar da chamada de acesso à internet –para a compra de pacote de dados –, lançada nesta semana. Os interessados devem preencher formulário socioeconômico. Já os estudantes de graduação serão beneficiados com chamadas de acesso à internet, aquisição de notebook, de equipamentos para alunos com deficiência e de apadrinhamento coordenadas pela Fump. Esses processos serão deflagrados já na próxima semana.

Outra frente de ação é o empréstimo de notebook a estudantes de graduação e de pós-graduação, cuja chamada também será aberta na próxima semana. Estudantes indígenas e quilombolas também receberão apoio específico. “É um projeto que será lançado no próximo mês”, informa o vice-reitor Alessandro Moreira.

Além disso, a rede de internet sem fio nas moradias universitárias será reestruturada, com previsão de entrega na segunda semana de agosto.

 

 

Lançamento do livro Rééditer Don Quichotte, da Professora Ana Utsch

Ana Utsch, Rééditer Don Quichotte. Matérialité du livre dans la France du XIXsiècle

Prefácio de Roger Chartier

Paris, Classiques Garnier

Lançamento: 24 de junho de 2020

Quarta capa:

Ao deslocar as abordagens tradicionais da história da encadernação em direção a uma história das formas e das funções desenvolvidas pela materialidade do livro, esta obra mobiliza três campos de estudo: a história da edição, a história literária e a bibliografia material. Sustentada por esta tripla dimensão, a análise de catálogos de editores franceses e de reedições sucessivas de Dom Quixote revela as competências técnicas e simbólicas da encadernação, objeto que estabelece diálogo direto com os gêneros textuais, com as práticas editoriais, com os usos do livro e, finalmente, com as diferentes comunidades de leitores, sejam eles ilustres ou anônimos.

Para mais informações:

https://classiques-garnier.com/reediter-don-quichotte-materialite-du-livre-dans-la-france-du-xixe-siecle.html

O grupo R-EST – estudos redes sociotécnicas – da UFMG convida para uma conversa com Bernhard Rieder

O grupo R-EST – estudos redes sociotécnicas – da UFMG convida para uma conversa com Bernhard Rieder sobre seu novo livro: “Engines of Order: a mechanology of algorithmic techniques” (disponível para download em bit.ly/enginesoforder).
Bernhard Rieder gentilmente se dispôs falar em português. A conversa conduzida pelos professores Carlos d’Andréa (PPGCOM/UFMG) e André Mintz (EBA/UFMG) será no dia 1º de julho, às 14 horas no canal do R-EST no YouTube.
Professor associado de novas mídias e cultura digital da Universidade de Amsterdã, na Holanda, Rieder pesquisa os aspectos teóricos, históricos e políticos do software e também desenvolve importantes ferramentas de coleta e análise de dados de plataformas online, como o DMI-TCAT (Twitter) e Netvizz (desativado após restrições do Facebook).
Ancorado em autores como Gilbert Simondon, em seu novo livro o pesquisador aporta uma consistente contribuição ao campo dos estudos de algoritmos ao consolidar sua longa investigação sobre a constituição cultural, histórica e política do que propõe denominar ‘técnicas algorítmicas’. Ele as define como formações históricas que servem como repositórios de conhecimento para a produção do software que hoje atua nos mais diversos contextos como mecanismos de ordenação da informação.
O link da transmissão será divulgado pelos canais https://twitter.com/rest_ufmg e https://www.instagram.com/rest_ufmg/

 

Professora Teresa Kurimoto traz reflexões sobre saúde mental, arte e cultura em vídeo do projeto Aulas Abertas do Centro Cultural UFMG

Texto: Assessoria de Comunicação do Centro Cultural UFMG

A segunda convidada do projeto Aulas Abertas, professora Teresa Cristina da Silva Kurimoto, fala sobre “Arte, cultura e subjetividade: diálogos sobre saúde mental”. Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=2pTK4FcGzFc

Teresa Cristina da Silva Kurimoto é enfermeira, psicóloga, professora adjunta da Escola de Enfermagem da UFMG, pesquisadora e extensionista na área de saúde mental e saúde pública, integrante da Comissão Permanente de Saúde Mental da UFMG.

O projeto foi elaborado para oferecer um espaço de compartilhamento de ideias, conceitos e experiências, buscando a construção do conhecimento reflexivo e crítico pelo público, que terá acesso à fala de professores, pesquisadores e artistas convidados, não sendo assim aulas propriamente ditas, mas discussões contextualizadas pelo olhar científico e humano, essenciais nesse momento de crise. Link sobre o projeto: https://www.youtube.com/watch?v=ZoEjcQ4DPqc 

Os vídeos incluem Tradutores e Intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão da UFMG – NAI.  

A cada semana será publicada uma nova aula, sempre as quartas-feiras, através do Facebook, Instagram, YouTube e Site da Instituição.

Projeto Aulas Abertas
Quartas-feiras nas Redes Sociais e Site do Centro Cultural UFMG
Facebook: https://www.facebook.com/centroculturalufmg
Instagram: https://www.instagram.com/centroculturalufmg
YouTube: https://www.youtube.com/c/CentroCulturalUFMG
Site: https://www.ufmg.br/centrocultural/

Vaga de bolsa de extensão para a Diretoria de Ação Cultural da UFMG

Texto: Diretoria de Ação Cultural da UFMG
A Diretoria de Ação Cultural da UFMG está com vaga aberta para 1(uma) bolsa de extensão, na modalidade PBEXT AÇÃO AFIRMATIVA, para atuação em sua Assessoria de Comunicação. O valor da bolsa é de R$500,00 (quinhentos reais) mensais. As inscrições estão abertas até 5 de julho e o resultado será divulgado no dia 10 de julho.
 
Sobre a vaga:
Destinada a estudantes do curso de Comunicação Social (habilitação em Publicidade, Jornalismo ou Relações Públicas) ou Cinema de Animação e Artes Digitais, a partir do 4º período, com domínio de edição de imagens e vídeos, habilidade com conteúdo para redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter e YouTube), boa redação e proatividade. Desejável habilidade em animação gráfica e ilustração. Carga horária: 20h semanais
 
Pré-requisitos:
Ser assistido pela FUMP nos níveis I, II, III ou IV e/ou ter ingressado na UFMG pelo sistema de bônus ou cotas;
Não ser beneficiário(a) de qualquer outro tipo de bolsa paga por programas oficiais.
 
Inscrição:
Até 5 de julho, mediante envio, para o e-mail comunicacao@dac.ufmg.br, dos seguintes documentos:
 
– Curriculum vitae (em que conste telefone e e-mail de contato);
– Comprovante de matrícula (2020/1);
– Comprovante de classificação socioeconômica no nível I, II, II ou IV emitido pela Fundação Universitária Mendes Pimentel (FUMP) ou documento que comprove o ingresso na UFMG pelo sistema de bônus ou cotas;
– Portfólio.
 

Consulte a Chamada de Seleção na íntegra em https://bit.ly/2VuSilh 

Site aproxima Orquestra Sinfônica da UFMG do público

Texto: Assessoria de Imprensa da UFMG

A Orquestra Sinfônica da Escola de Música (Osem) da UFMG lançou site para ampliar a divulgação e informações sobre o grupo. A página é atualizada semanalmente, com temas de interesse da comunidade musical e para o público em geral. Há links de pesquisa e ensino, indicações de sites sobre instrumentos de orquestra e de apoio psicológico, entre outros.

Com seis abas, o website reúne notícias, programação e projetos que se relacionam com orquestra e a música. “Conseguimos pensar em um site que não se restringe à divulgação, mas pode ‘alimentar’ os próprios músicos que necessitam de pesquisa didática, além de ser informativo para o público geral”, destaca a professora Iara Fricke Matte, regente e coordenadora da Orquestra.

O novo site reúne informações sobre cuidados para a volta das atividades musicais durante a pandemia da Covid-19. Link com estudos em andamento sobre a nova realidade da prática musical e informações relacionadas à saúde também estão disponíveis.

Ao fim da página, frases de músicos importantes são apresentadas aos leitores. “É um valor social. São frases muito relevantes, até ligadas à política, que mantêm as vozes unidas”, afirma Iara. Resultados de editais, fotos e vídeos da Orquestra completam o website.

Laboratório

A ação foi desenvolvida por Iara Fricke, em conjunto com os bolsistas de extensão Felipe Nonato (violino), Giovanna Vlasic Della Cruz (tímpano), Leandro Fernandes Martins (violoncelo), Marcos Vinicius Nunes (flauta) e Raphael Maximiano Dutra (viola). Paulo Henrique de Oliveira, integrante do setor de comunicação institucional da Escola, foi o responsável pela parte técnica.

A Orquestra Sinfônica funciona como laboratório para um grande número de classes –entre elas, regência, composição, instrumentos de orquestra e canto – e realiza concertos mensais gratuitos, abertos ao público, com o intuito de difundir a arte sinfônica e contribuir com a formação de público. É composta de músicos profissionais e alunos de graduação e pós-graduação da UFMG.

Mais informações sobre a Orquestra estão disponíveis no Instagram (@orquestra.ufmg).

Priscila Magella lança o show QuarenteNADAR pelo Circuito Cultural UFMG

Texto: Assessoria de Comunicação da Diretoria de Ação Cultural (DAC) da UFMG

O Circuito Cultural UFMG estreia nessa quarta-feira, 24 de junho, o pocket show solidário QuarenteNADAR, de Priscila Magella. Nele, a cantora, atriz, compositora e poeta de Pirapora canta as agruras e belezas do rio São Francisco. Gravado pela própria artista durante a quarentena, o show tem lançamento às 19h no canal no YouTube da Diretoria de Ação Cultural da UFMG (www.youtube.com/culturaufmg). A apresentação virtual ficará disponível por tempo indeterminado no canal, e integra a campanha de financiamento coletivo Colabore Hospitais UFMG.

Acompanhada do violonista Victor Motta, Priscila revela uma relação íntima com a cultura ribeirinha dos povos barranqueiros do São Francisco em QuarenteNADAR. As letras das canções transmitem a mensagem de que é preciso “cuidar, inclusive, dos rios existentes dentro de nós”. “Sou ativista do rio São Francisco, e também sou uma das fundadoras do projeto Velho Chico Vive (que questiona os impactos da construção da Usina Hidrelétrica Formoso na cidade de Pirapora)”, conta.

Priscila se encontrava em São Paulo, cursando a Escola de Arte Dramática na Universidade de São Paulo, quando foi surpreendida pela quarentena. “É muito importante para nós que somos músicos e artistas um projeto como o Circuito Cultural UFMG. É um experimento diferente, é lógico que a gente sente falta dos abraços, dos olhares, do calor, mas é importante que a gente fique em casa nesse momento. Também estou muito feliz de colaborar com meu canto para a campanha Colabore Hospitais UFMG”, comenta.

Colabore Hospitais UFMG

Desenvolvida pela Universidade em parceria com a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) e o Instituto dos Advogados de Minas Gerais (IAMG), a campanha visa arrecadar verba para o enfrentamento à pandemia nos hospitais gerenciados pela UFMG. O volume arrecadado é destinado à aquisição de medicamentos, insumos, equipamentos de proteção individual e a contratação de serviços necessários ao atendimento de pessoas diagnosticadas com Covid-19, demais síndromes respiratórias agudas e outras emergências.

Os interessados em contribuir podem transferir qualquer valor para o Banco do Brasil (001), agência 1615-2, conta corrente 960.419-7 (CNPJ da Fundep: 18.720.938/0001-41). Também podem ser doados bens ou equipamentos; nesse caso, basta entrar em contato com a Diretoria de Cooperação Institucional da UFMG por meio dos telefones (31) 3409-4555 e (31) 99306-0348 ou do e-mail gab@copi.ufmg.br. Saiba mais sobre a campanha em www.colaborehospitaisufmg.com.