Sobre o Programa

O Programa de Pós-Graduação em Artes

O Programa de Pós-graduação em Artes da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, constituído pelo ciclo de estudos regulares na área de conhecimento Artes, funciona nos seguintes níveis:

  • Nível de Especialização: Curso de Especialização em Ensino de Artes Visuais – Modalidade à distância.
  • Nível de Mestrado Acadêmico: Modalidade presencial.
  • Nível de Doutorado Acadêmico: Modalidade presencial.
  • Nível de Mestrado Profissional: Modalidade presencial.

Sites Oficiais do Programa

Segue abaixo os Sites Oficiais do Programa onde são postados os Editais dos Processos Seletivos e demais informações necessárias para a conclusão dos cursos:

Páginas Oficiais do Programa no Facebook

O Programa de Pós-Graduação em Artes na atualidade

O Curso de Especialização em Ensino de Artes Visuais – CEEAV

O Curso de Especialização em Ensino de Artes Visuais, da Escola de Belas Artes da UFMG, potencializa competências e conhecimentos necessários à formação de profissionais da Educação Básica e de Ensino Superior, tanto no exercício da ação docente quanto nas ações de pesquisa em ensino de Artes Visuais, por meio do uso de tecnologias contemporâneas. Essas tecnologias servirão como recursos capazes de mediar cada vez mais o desenvolvimento de práticas pedagógicas, seja na modalidade a distância ou não, bem como contribuirão com conhecimentos no campo da pesquisa e educação em Arte e da própria educação a distância.

As vagas para admissão ao Curso de Especialização em Ensino de Artes Visuais são de 300, sendo 50 vagas para cada polo de oferta do mesmo.

Para maiores informações, acesse: www.eba.ufmg.br/ceeav

O Mestrado e o Doutorado Acadêmicos – PPG-ARTES

O Programa de Pós-Graduação em Artes tem por finalidade: 1. Proporcionar o aprofundamento do saber em Artes; 2. Oferecer, dentro da Universidade, ambiente e recursos adequados para que se desenvolva a pesquisa na área de Artes; 3. Formar pessoal qualificado técnica e cientificamente, de alto nível, para exercer as atividades profissionais de ensino e pesquisa na área de Artes, visando ao avanço do conhecimento nesse campo, atendendo assim às demandas de desenvolvimento da sociedade; 4. Oferecer oportunidade de desenvolver a capacidade crítica, o conhecimento e a habilidade dos alunos.

O Programa de Pós-Graduação em Artes, níveis de Mestrado e Doutorado Acadêmicos, organiza-se em 6 (seis) Linhas de Pesquisa. A saber: 1. Artes da Cena; 2. Artes e Experiência Interartes na Educação; 3. Cinema; 4. Artes Plásticas, Visuais e Interartes: Manifestações Artísticas e suas Perspectivas Históricas, Teóricas e Críticas; 5. Preservação do Patrimônio Cultural; 6. Poéticas Tecnológicas.

O Mestrado Profissional em Artes – PROF-ARTES

O Mestrado Profissional em Artes – PROF-ARTES é oferecido em rede Nacional, sendo realizado simultaneamente nas Instituições Públicas de Ensino Superior denominadas de IES Associadas, nas quais ocorrem o Exame nacional de Acesso e a realização do Curso, incluindo a Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG.

Área de Concentração – Ensino de Artes: Na formação do professor que atua na Educação Básica é indispensável o aprofundamento do seu conhecimento nos estudos voltados para os procedimentos teóricos e metodológicos relativos ao ensino, mediação e aprendizagem em artes, o que lhe possibilitará uma posição madura intelectualmente, permitindo-lhe posicionar-se frente à realidade cultural do aluno, mediante suas próprias experiências artísticas e estéticas, bem como em relação ao contexto sócio-cultural em que está inserido. Envolvendo pesquisas em diferentes procedimentos e metodologias do ensino artístico, a área de concentração Ensino de Artes propõe reunir linhas de pesquisa/atuação articuladas aos saberes, processos e práticas pedagógicas no ensino médio e fundamental, permeando estudos em diferentes concepções, sejam práticas, sejam teóricas, formais ou não formais.

Linhas de Pesquisa/Atuação: O Mestrado Profissional em Artes – PROF-ARTES organiza-se em 2 (duas) Linhas de Pesquisa. A saber: 1. Processos de ensino, aprendizagem e criação em artes; 2. Abordagens teórico-metodológicas das práticas docentes.

Para maiores informações, acesse: www.ceart.udesc.br/?id=58

Conceito CAPES

Pela segunda avaliação trienal consecutiva, o PPG-Artes manteve a classificação da CAPES como conceito 5, o que reitera seu importância no cenário nacional como formador de especialistas, mestres e doutores na área de Artes.

PPG-Artes em números

(Mestrado e Doutorado Acadêmicos)

Docentes permanentes: 32

Docentes Colaboradores: 04

Discentes: 115

Média de defesas por ano: 40

Histórico

A Escola de Belas Artes (EBA) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é pioneira no ensino de Artes em Minas Gerais em nível de graduação, especialização, mestrado e doutorado. Criada em 05 de abril de 1957, inicialmente sob a forma de curso de arte na Escola de Arquitetura, posteriormente foi transformada em escola através do Decreto-Lei no. 62.317 de 28 de fevereiro de 1968, quando passou a constituir uma unidade do sistema básico da Universidade Federal de Minas Gerais.  Em 1978, a Instituição implantou o Curso de Especialização em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis, único nesse nível no Brasil, desenvolvido no Centro de Restauração e Conservação (CECOR), abrindo caminho para que em 1995 fosse criado o Mestrado em Artes e que, em 2006, fosse implantado o Doutorado em Artes, completando assim o ciclo de pós-graduação da EBA/UFMG.

Durante esse período a Escola ofereceu a graduação em Belas Artes, mais tarde denominada por Artes Visuais e, em 1999, passou a abrigar também o Curso de Artes Cênicas, vinculado ao Departamento de Fotografia e Cinema, que passou a denominar-se Departamento de Fotografia, Teatro e Cinema. A vinculação a este departamento denota a afinidade existente entre as áreas envolvidas – cinema e artes cênicas – e mostra a evolução da EBA, que está constantemente em busca de novos desafios e investe continuamente no estímulo ao diálogo entre as linguagens artísticas. O caráter multidisciplinar da Escola de Belas Artes foi reforçado em 2008 com a abertura da graduação em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis, com a implantação em 2009 da graduação em Cinema de Animação e Artes Digitais, da graduação em Design de Moda e com a implantação, em 2010, da graduação em Dança. O amadurecimento do projeto de implantação do curso de Dança levou à necessidade da mudança do nome do Curso de Artes Cênicas, que passou a ser denominado Curso de Teatro a partir de 2007. Está em curso a criação de um Departamento que reunirá os cursos de Teatro e Dança.

O Mestrado em Artes iniciado em 1995 sofreu reformulações em 1998, passando a ser denominado Mestrado em Artes Visuais. Em 2003, incorporou dois professores participantes da área de Artes Cênicas, ministrando aulas e como orientadores específicos. Com o crescimento contínuo da área de artes cênicas, tanto docente quanto discente, no ano de 2005 foi encaminhado à CAPES o projeto de Doutorado em Artes, propondo ainda a modificação da nomenclatura para Programa de Pós-Graduação em Artes, que pela sua maior abrangência contempla em seu novo perfil as áreas de Artes Plásticas, Conservação e Restauração, Cinema, Ensino de Arte e Artes Cênicas.

Com uma Área de Concentração em “Arte e Tecnologia da Imagem” o Programa de Pós-Graduação em Artes da EBA contou até o ano de 2005 com duas Linhas de Pesquisa, “Criação, Crítica e Preservação da Imagem” e “Criação e Crítica da Imagem em Movimento”, ambas enfocando tanto o trabalho teórico sobre arte quanto a conjugação entre teoria e práxis artística, através da produção e reflexão sobre o trabalho produzido.

Assim, até o ano de 2005, a área de Artes Cênicas esteve integrada à Linha de Pesquisa “Criação e Crítica da Imagem em Movimento”. Tendo se firmado como um importante campo de trabalho do Programa, foi criada a Linha de Pesquisa “Artes Cênicas: Teorias e Práticas”, que por estar vinculada especificamente às questões tratadas pelos seus professores passou a definir com maior rigor sua inserção no Programa, dando chance para que a área se expandisse ainda mais.

A estrutura do Programa de Pós-Graduação em Artes passou a abranger, a partir de 2006, dois níveis (Mestrado e Doutorado), na Área de Concentração Arte e Tecnologia da Imagem, que se desdobrava em três Linhas de Pesquisa: Criação, Crítica e Preservação da Imagem, Criação e Crítica da Imagem em Movimento e Artes Cênicas: Teorias e Práticas (a princípio somente para o Mestrado e a partir de 2008 também para o Doutorado), todas elas abordando o conceito de trânsito e interdisciplinaridade.

Após ampla discussão com professores e alunos no I Seminário do PPG-Artes: trajetória e novos rumos, realizado no primeiro semestre de 2014, o Colegiado elaborou uma proposta de reformulação do PPG-Artes que foi aprovada pela Câmara de Pós-graduação da UFMG em 12 de agosto de 2014.