Os imateriais de Lyotard (1985): um programa figural

  • Jean-Louis Déotte Université de Paris VIII
  • Stéphane Huchet (Tradução) Escola de Belas Artes/UFMG

Resumo

Investiga-se neste texto a emblemática exposição Les Immatériaux, pensada e curada por Jean-François Lyotard no Centre Georges Pompidou, Paris, em 1985. Trata-se de pensar a forma como a exposição foi construída e desenhada pelo filósofo evidenciando a imaterialidade como conceito para pensar a arte na pos-modernidade e a vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean-Louis Déotte, Université de Paris VIII
Jean-Louis Déotte é filósofo e foi Professor na Université de Paris VIII. Seus temas de pesquisa são a estética, a filosofia da arte e da técnica. Ele trabalhou notadamente sobre Jean-François Lyotard, Walter Benjamin e sobre as noções de museu, de aparelho, de diferença estética e cosmética. É o autor de Le Musée, l’origine de l’esthétique (1993), Oubliez ! Les ruines, l’Europe, le musée (1994) e editor da revista on-line Appareil.
Stéphane Huchet (Tradução), Escola de Belas Artes/UFMG
Escola de Belas Artes/UFMG
Publicado
2015-06-01
Como Citar
Déotte, J.-L., & Huchet (Tradução), S. (2015). Os imateriais de Lyotard (1985): um programa figural. PÓS: Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Artes Da EBA/UFMG, 5(9), 189-201. Recuperado de https://eba.ufmg.br/revistapos3/index.php/pos/article/view/264
Seção
Artigos - Seção temática